84

Prefeitura Municipal de Rosário do Catete

Pular para o conteúdo

Agricultores familiares participam de projeto em feira de Rosário

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação Social
24/07/2020 às 11h55

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Desde o mês de março que a Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural(Semader) realiza, na feira livre do município, o piloto do Projeto da Feira da Agricultura Familiar e Orgânica, com agricultores familiares inscritos no Banco de Alimentos de Rosário do Catete, o primeiro de Sergipe.

O projeto consiste em incentivar o agricultor familiar a comercializar os produtos colhidos na roça dele, diretamente ao consumidor. A prática, além de reduzir os preços dos alimentos, é uma fonte de renda alternativa aos agricultores para quando não estiverem vendendo ao Poder Público.

O piloto está acontecendo, inicialmente, com quatro produtores familiares que se revezam de dois em dois nas vendas, em duas bancas na feira do município todas as segundas, de acordo com a produção da roça de cada um.

Para a secretária do Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural(Semader), Luciana Melo, idealizadora do projeto, apesar da falta de experiência dos agricultores em vendas diretas, os resultados têm sido positivos.

“Esse piloto vai fazer com que a nossa Feira da Agricultura Familiar, que vamos implantar em alguns meses, voltada para a produção orgânica, tenha uma semente boa. Dessa forma estamos capacitando, familiarizando esse agricultor, mostrando para ele a importância da participação direta, trazendo empoderamento e visibilidade social, melhorando a autoestima deles”, comentou a secretária.

A senhora Maria de Lurdes, conhecida como Dona Lurdinha, 60 anos, do Sítio Samuel, em frente a BR 101, que criou os filhos tirando o sustento da agricultura, agradece primeiro a Deus e depois ao prefeito Vino Barreto pela iniciativa.

“Trabalho há muitos anos com verdura, mas nunca tive o sucesso que hoje tenho. Com a ajuda do Banco de Alimentos de Rosário estou desenvolvendo melhor que antes, quando eu trabalhava sozinha, sem ajuda de ninguém. Com esse reforço, comecei a correr atrás e a desenvolver minha plantação”, revelou Dona Lurdinha.

As palavras de Dona de Lurdinha são confirmadas por outra mulher que também vive da agricultura familiar, Vilma Santos, 59 anos, da Fazenda Comunitária: “Gostei bastante da ideia de vim vender meus produtos na feira, foi muito bom para mim. É um dinheiro a mais que a gente tem por semana. Com esse projeto o prefeito Vino ajudou a gente bastante!”.

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação